Ambiente experimental para publicação de material excedente do projeto Incubus e incubologia. Com pequenos contos relatívos a Incubus, Sucubus e qualquer outra tranqueira sem noção ou relação com os temas supra-citados...

Bem vindo?


Pressupostos deste blog sobre os leitores:
1) Os leitores são pessoas adultas, que já fizeram suas escolhas básicas na vida, conhecem-se o bastante para saber do que gostam e no que acreditam. Portanto os leitores comportam-se de maneira apropriada a adultos bem resolvidos e bem educados.
2) Os leitores são inteligentes, sabem que ficção é por definição algo que não existe e que para divertir-se com ela é necessário firmar um pacto com o autor, de que acreditará na ficção, pelo menos enquanto estiver lendo.
3) Os leitores são educados, sabem falar sobre assuntos delicados sem ofender ninguém e sem perder a elegância. Também sabem argumentar e expor seus pensamentos e sentimentos por escrito de maneira clara, correta e precisa quando sentem necessidade de comunicar-se uns com os outros.
4) Os leitores gostam de ler e terão tanto prazer na leitura quanto o autor na escrita. O autor deste, gosta muito de escrever, para acompanha-lo o leitor deve gostar de ler.

Se você não se enquadra em algum destes itens, não perca a maravilhosa chance de investir seu tempo em alguma atividade mais adequada, como por exemplo, rezar para que um dia você possa ser uma pessoa adulta também.

Pressupostos deste blog sobre a realidade:
1) Existe um Universo imanifesto, repleto de possibilidades, tudo o que hoje existe, existiu primeiro nele, até que em algum momento manifestou-se em algum mundo.
2) Existe um mundo espiritual. Este mundo contem coisas boas e ruins.
3) Existe um mundo físico. Este mundo também contem coisas boas e ruins.
4) Existe um mundo do meio, formando uma ponte entre o espiritual e o físico. Acessamos este mundo através de nosso pensamento. Nossa mente é o instrumento que possibilita navegar em diversos mundos, entre eles, o nosso mundo interior, o mundo mental compartilhado e o mundo do meio.

Neste blog, apresentarei em forma de ficção, um pouco do que vivi e presenciei no mundo do meio. Contarei as histórias dos personagens que conheci enquanto navegava através da imaginação por todos os mundos, manifestos ou não. Se você leu e compreendeu os pressupostos acima, lhe estendo o convite que até hoje só ofereci para meus melhores amigos: “Deixe-me levar sua mente para passear”.

Um grande e confortável abraço

=NuNuNO== Griesbach
( Que não sabe onde arranjará tempo de postar, porém, tem um plano. )

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

A Moça do Espelho





Um dia como qualquer outro, Lucas espremia as espinhas em seu rosto adolescente como se fossem quaisquer espinhas, sem nenhuma relevância para o resto de sua vida. Completamente entretido com a agradável dor de livrar o rosto das pequenas e infectadas feridas, ele viu, refletida no espelho um bela mulher, que sorria para ele da forma que normalmente as mulheres sorriam apenas em seus sonhos. Virou-se para vê-la, mas ela não estava lá. Voltou-se para o espelho e nada havia além de seu próprio reflexo. Continuou esmagando suas espinhas, tentando ignorar o fato.
 
Na mesma noite, as mulheres de seus sonhos pareciam ter seus sorrisos ofuscados pela memória que circulava seu universo imaginário. Um mísero segundo observando o sorriso da bela e misteriosa mulher serviu para diminuir a importância de todas as outras.
Acordou deprimido. Foi até o espelho, para procurar qualquer resquício da mulher fantasma, mas, só encontrou suas velhas espinhas, que mesmo tendo sido espremidas no dia anterior, já haviam voltado a velha forma.
Espremeu-as com todo o carinho de sempre, tentando concentrar-se na dor afim de esquecer do que era para ele inesquecível, a moça tornou a aparecer. Ela vestia apenas uma capa rosa e, estava visivelmente presa dentro do espelho.
Por quase uma hora, com medo de desviar o olhar, mover-se, ou fazer qualquer coisa que pudesse fazer com que a moça se esvaísse novamente, Lucas limitou-se a observar a mulher, que sendo a mais bela forma feminina que nunca havia sido capaz de imaginar, proporcionou a ele o mais estranho e imobilizado orgasmo de sua existência pelo simples fato de mover-se com carinho, fitá-lo com atenção e mover os lábios no agradável movimento, que mesmo sem produzir som, traduzia-se em um acalorado e sincero “eu te amo”.
Para total desespero de Lucas, a moça parecia estar se despedindo, aproximou seu rosto e beijou o vidro, Lucas em uma vã tentativa de degustar os lábios carnudos daquela linda aparição, fez o mesmo.
Lucas viu o rosto dela próximo ao seu, ela fechou os olhos, ele a acompanhou. Após um longo beijo limitado pela placa de vidro, Lucas abriu os olhos e constatou que ela não estava mais lá.

A partir deste dia, Lucas passará a vida definhando em frente ao espelho, sendo chamado erroneamente de narcisista. Morrerá esperando que ela volte, e não contará a ninguém o segredo, de como aquela estranha marca de batom foi parar do lado de trás do vidro do espelho.

=NuNuNO== Griesbach
( Que precisa reaprender a escrever )


2 comentários:

  1. Após tanto tempo sem escrever uma única linha, resolvi voltar aos poucos, começando com coisas pequenas e sem muita graça. Se puder manter o exercício, e não me preocupar com os pequenos deslizes de gramática, em breve volto a tona.

    Um grande abraço.

    =NuNuNO==
    ( Que agora irá dormir em paz, sonhando com a luta do dia seguinte, que será travada dormindo )

    ResponderExcluir
  2. Lindo texto!
    Todo mundo alimenta alguma ilusão. Acho que faz parte disso de viver... Agora a gente nunca compreende a ilusão do outro...
    Bjks
    E obrigada pela visita e pelos comentários carinhosos!

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget

Pessoas que sabe Deus como me encontraram aqui

Quem sou eu

Minha foto
Analista de sistemas e desenvolvedor de software, apaixonado por mobilidade.